Meio ambiente: Veja a monstruosa nuvem do Saara que está vindo em direção a Amazônia

Todo os anos o deserto do Saara, lá do lado oposto do Oceano Atlântico, sopra uma nuvem tão gigantesca de poeira em direção as Américas que foi apelidada de Godzilla.

Todo os anos o deserto do Saara, lá do lado oposto do Oceano Atlântico, sopra uma nuvem tão gigantesca de poeira em direção as Américas que foi apelidada de Godzilla.


Rastreamento

É a maior destas nuvens em 20 anos que os cientistas registram o evento. Ela tem cerca de 65% mais poeira do que os rastreamentos anteriores já registraram. Chamada de Camada de Ar do Saara, ela também viajou mais longe do que costuma.

Como a nuvem Godzilla se forma

A nuvem é formada quando intensas tempestades e fortes ventos elevam a poeira do Saara para a atmosfera, evento que começa acerca de junho. Durante alguns meses a poeira é transportada pela atmosfera.

A nuvem de poeira do Saara em Direção a Amazônia fotografada do espaço Imagens geradas com dados de satélite exibindo a nuvem Godzilla em junho de 2020 (Créditos: Dados do Copernicus Sentinel (2020), processados ​​pela Agência Espacial Européia, CC BY-SA 3.0 IGO )

O tamanho da pluma

Esta última nuvem chegou a cerca de 8 mil quilômetros de comprimento, de acordo com a Agência Espacial Européia, e foi observada pelo satélite Copernicus Sentinel-5P, projetado para rastrear partículas na atmosfera como poluição e poeira.

Os benefícios e problemas da poeira

O mais comum é que boa parte da nuvem afunde no mar, servindo de alimento para o plâncton. Ao chegar no continente pode ser danosa para a respiração humana e afeta os ecossistemas, inclusive fertilizando a floresta amazônica. Parece que a pluma também interfere na geração de furações e tempestades tropicais.
Fonte: Space.com, hypescienc Fotos: Divulgação

Veja também

Mais Populares

Sutiã Simples Romântico